Situação do JBS cria clima de apreensão e temor entre produtores

Unidade de Naviraí, também tem abates reduzidos. Aqui preocupação com risco de demissões.

Economia Imprimir
Sábado, 25 de Março de 2017 - 05h44

Responsáveis por 42% do volume de abates de bovinos nos frigoríficos sob inspeção federal de Mato Grosso do Sul somente neste ano, de acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), seis unidades do JBS suspenderam as atividades temporariamente no Estado, deixando clima de apreensão entre a classe pecuarista, em função do temor de paralisação dos negócios, já afetados pelos baixos preços da arroba do boi desde o início do ano.

Embora o grupo empresarial tenha anunciado a interrupção dos abates por três dias, devendo retornar às operações na próxima semana, o cenário preocupa porque já começou a ocorrer travamento nas negociações, segundo o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Jonatan Barbosa. “O produtor precisa vender para pegar o dinheiro e pagar contas”, ressaltou.

Ontem, a diretoria da Acrissul, acompanhada de produtores, esteve reunida com o superintendente do Banco do Brasil, Gláucio Zanettin Fernandes, para solicitar a renegociação do prazo de pagamento de dívidas a vencer e outras vencidas, além de tratar de outros assuntos de interesse da classe. Por DANIELLA ARRUDA

Fonte: Correio do Estado

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br