Bêbado, motorista matou caçula de três irmãos; família pede Justiça

Caminhoneiro continua preso, mas foi autuado por homicídio culposo - quando não há intenção de matar

Polícia Imprimir
Terça-Feira, 11 de Abril de 2017 - 04h32

“No fim das contas, o que resta é a pessoa nessas condições (aponta para o caixão), a família sofrendo do lado e o culpado impune”. A frase, carregada de revolta, é de um dos familiares de Ralph Daniel Flores da Silva, 30 anos.
O rapaz morreu depois ser atingido por um caminhão conduzido por Paulo César Vargas Nogueira, 52 anos, que estava bêbado. Revoltada com a morte do caçula entre três irmãos, a família da vítima quer justiça.

De acordo com Reginaldo Flores, 45 anos, tio de Ralph, o receio da família é que o caminhoneiro, até agora apontado como responsável pelo acidente, seja solto apenas com o pagamento de uma fiança. “Apesar de saber que a justiça do nosso país não é das melhores, a única coisa que nos resta é acreditar”, diz.

Por causa das agressões, Paulo César sofreu vários ferimentos e, logo após o acidente, foi levado à Santa Casa sob escolta, de onde recebeu alta na manhã desta segunda-feira(10). Ele continua preso na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário Piratininga) e foi autuado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, além do crime por conduzir veículo sob efeito de álcool.

A audiência de custódia que vai definir se Paulo César será liberado sobre o pagamento de fiança ou continuará preso, acontece na manhã desta terça-feira (11).

A família também critica a tipificação do crime. “Ele (motorista do caminhão) estava bêbado e avançou a preferencial, não dá para concordar com isso”, afirma o tio.

Ao relatar a história, Flores lembra que já perdeu outros familiares em acidentes semelhantes ao de Ralph e o quanto é sofrido passar por isso. “Já perdi uma irmã por acidente de trânsito e agora um sobrinho. Só sabe como é a dor da perda quem a sente. Isso não pode ficar impune”, reforça.

O corpo de Ralph está sendo velado no Centro Comunitário do bairro Universitário. O sepultamento está marcado parta esta terça-feira (11), Cemitério Nacional, nas Moreninhas.

Acidente – O motociclista de 30 anos morreu após ser atingido por um caminhão, por volta das 18h30 de domingo (9), na Rua Elvira Pacheco Sampaio, no Bairro Universitário, em Campo Grande. Ralph chegou a ser socorrido, mas não resistiu. Bêbado, o motorista do veículo Mercedes Benz, Paulo César foi agredido após o acidente e precisou de atendimento médico.

Conforme boletim de ocorrência, a vítima pilotava uma Honda Titan preta pela preferencial, quando no cruzamento colidiu a frente da moto na lateral do caminhão, conduzido por Paulo César. O motorista seguia na Rua João Maiolino e não respeitou o sinal de pare.

Após o acidente, a vítima foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) à Santa Casa, mas não resistiu. Antes da chegada da BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito), o motorista do caminhão foi agredido pela população. Ele, que apresentava sinais de embriaguez, fez o teste do bafômetro e o resultado foi positivo de 1,23 miligramas de álcool por litro de sangue.

Fonte: CG News

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br