Zeca e Vander caem nas delações da Odebrecht e são investigados pelo STF

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, autorizou abertura de inquérito contra os dois

Política Imprimir
Terça-Feira, 11 de Abril de 2017 - 16h54

Os deputados federais Vander Loubet e Zeca do PT, ambos do Partido dos Trabalhadores, são os ‘ilustres representantes’ de Mato Grosso do Sul no escândalo da Lava Jato, o maior da história do país. O ministro Edson Fachin, relator da operação no Supremo Tribunal Federal, autorizou abertura de inquérito contra os dois.

A informação é do jornal Estado de São Paulo e a dupla do PT faz parte de um total de 108 alvos dos 83 inquéritos que a PGR (Procuradoria-Geral da República) encaminhou ao STF, com base na delação premiada dos 78 executivos e ex-executivos do Grupo Odebrecht.

O Estado teve acesso a despachos do ministro Fachin, assinados eletronicamente no dia 4 de abril. Também serão investigados no Supremo um ministro do Tribunal de Contas da União, três governadores e 24 outros políticos e autoridades que, apesar de não terem foro no tribunal, estão relacionadas aos fatos narrados pelos colaboradores.

Os senadores Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, e Romero Jucá (RR), presidente do PMDB, são os políticos com o maior número de inquéritos a serem abertos: 5, cada. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado, vem em seguida, com 4.

O governo do presidente Michel Temer é fortemente atingido. A PGR pediu investigações contra os ministros Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, , Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, Roberto Freire (PPS), da Cultura, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Padilha e Kassab responderão em duas investigações, cada

Fonte: Topmidianews

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br