Justiça estadual bloqueia bens de deputado por improbidade

Política Imprimir
Quinta-Feira, 13 de Abril de 2017 - 09h55

O deputado estadual Lídio Lopes (PEN) teve os bens bloqueados pelo juiz Alexandre Ito, da 1ª Vara dos Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos.

O parlamentar responde uma ação de improbidade administrativa, por suspeita de fraudar a lista de frequência da ex-assessora de gabinete Sheila Lins de Albuquerque.

O bloqueio é um pedido do promotor de Justiça do Grupo Especial de Combate a Corrupção (Gecoc), Marcos Alex de Oliveira Vera. Ele solicitou que as contas de Lídio e de Sheila sejam restritas até atingir o valor de R$ 88.296,17, equivalente ao montante total de salário recebido pela ex-comissionada enquanto estava locada na Assembleia Legislativa.

A assessora foi nomeada em março de 2013 e exonerada em janeiro deste ano. A investigação apontou que ela recebia um salário de R$ 1,7 mil para trabalhar para o parlamentar morando em Três Lagoas. Só que no mesmo período há evidências de que Sheila viajou várias vezes para fora do país. As fotos dos passeios postadas no seu perfil nas redes sociais foram anexadas ao processo, como prova da irregularidade.

Lídio recebeu a notícia com surpresa. “Não fui citado, nem ouvido. Vou contestar esse processo. Já acionei meu advogado para recorrer dessa decisão”.

O caso segue em segredo de Justiça e ele questiona o vazamento das informações. “Vou processar as partes do processo, pois estou me sentido lesado. Divulgaram meu nome, sem nem eu saber do que se tratava”.

Esta não é a primeira vez que o Legislativo Estadual se envolve com denúncias de funcionários fantasmas. Desde o ano passado a Casa de Leis passa por investigação sobre o caso.

Fonte: Portal Correio/ Estado

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br