Delcídio do Amaral recebeu dinheiro suspeito em três campanhas

Valor sob investigação é de R$ 9 milhões, além de R$ 500 mil por ter vendido voto

Polícia Imprimir
Sexta-Feira, 14 de Abril de 2017 - 08h21

O ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido) teria recebido R$ 9 milhões de caixa dois em suas campanhas eleitorais de 2006, 2010 e 2014, além dos R$ 500 mil para votar a favor da Braskem, uma das empresas do grupo Odebrecht .

A revelação foi feita pelos executivos da empreiteira Benedicto Barbosa da Silva Júnior e Rogério Santos de Araújo, durante delação premiada.

Mas o valor para disputar as urnas em Mato Grosso do Sul ainda podem subir. Isso porque faltou denunciar a quantia repassada ao ex-petista na campanha de 2010.

Durante o depoimento, Rogério afirmou ter dado R$ 4 milhões a Delcídio para a campanha de governador em 2006. Já em 2010, na campanha para senador, o dinheiro teria sido entregue a pedido do então diretor da área internacional da Petrobrás, Nestor Cerveró.

O benefício para campanha de governador de 2014 foi delatado por Benedicto. Segundo ele, Delcídio teria recebido R$ 5 milhões de caixa dois para ganhar as eleições. Na decisão do relator, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, os depoimentos foram enviados para a Procuradoria da República no Paraná.

O encaminhamento dos documentos para o juiz Sérgio Moro, se deve pela falta de menção a crimes praticados por autoridades detentoras de foro privilegiado, perdendo a competência do STF para apurar os fatos.

Vale ressaltar que depois de ser preso, Delcídio tornou-se delator da Lava Jato, mas nunca admitiu o recebimento de recursos ilícitos de empreiteiras.

Fonte: Correio do Estado

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br