Familiares de adolescente morto por PM fazem caminhada por Justiça

Geral Imprimir
Domingo, 18 de Junho de 2017 - 05h35

Cerca de 100 pessoas, entre familiares e amigos de Luiz da Silva Souza, 17 anos, protestaram na tarde deste sábado (17) exigindo justiça pela morte do adolescente no último dia 10, quando ele foi morto por um policial militar, de 31, em uma casa noturna na região do Jardim Monte Alegre (zona sul de Campo Grande).

Na ocasião, Souza e pelo menos três amigos foram ao local, que fica na Rua da Divisão, e se envolveram em um tumulto. O policial alegou que o adolescente estava armado e por isso atirou. A família nega a versão.

Nesta tarde, o grupo se reuniu na casa onde Souza morava com a família e caminhou cerca de quatro quilômetros até o local do crime, carregando cartazes, faixas e camisetas com fotos do rapaz e mensagens cobrando apuração rigorosa dos fatos.

“A gente quer Justiça, quer que tudo seja detalhado, explicado. Meu irmão não estava armado e vamos às últimas conseqüências apurar essa história”, disse Yngrid Luiza Souza, 21, uma das irmãs de Souza.

A manifestação, pacífica, durou cerca de uma hora, das 15h30 às 16h30, e contou com amplo aparato policia. Segundo Yngrid, a presença policial foi bem vinda. “Eles estão ajudando a gente no quesito de trânsito. É um protesto pacífico que nem envolve eles, que estão trabalhando, mas nossos direitos”, completou.
O caso – Além da passeata, os familiares deverão iniciar uma série de cobranças nas delegacias de Campo Grande, para cobrar providências. O caso é investigado pelo 5º DP (Piratininga) e, por enquanto, o policial, que não teve o nome revelado, não foi preso.

Fonte: CG News

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br