Médico atencioso e equipe atuando com harmonia e organização. No Harry atendimento de Saúde há anos não é problema.

Unidade de Saúde de Naviraí é exemplo de que é possível um serviço de qualidade para o usuário.

Saúde Imprimir
Quarta-Feira, 28 de Junho de 2017 - 11h55

O atendimento realizado pelo médico e os funcionários da unidade básica de saúde na região do Harry Amorim (ESF Padre Koreman), recebe elogios da população e pode ser considerado modelo de serviço que vem dândo certo na saúde pública. Os moradores se orgulham em dizer que é o único da cidade onde nunca faltou o médico e conta com uma equipe prestativa, atenciosa e com planejamento de trabalho organizado.

Há nove anos atendendo como médico no posto, o paraibano de Cacimba de Dentro, Dr Antônio Gomes, é hoje a personalidade mais querida entre moradores do Harry, Bairro Eldorado, Primavera e parte do Jardim Progresso que integra a área de atendimento. “Nosso médico atende todo dia, a manhã e a tarde inteira no local de trabalho, sem falar que atende todo mundo com muito carinho” diz a aposentada Sidnéia Lucas (70), que reside há 14 anos no bairro.

“Fiquei acamada com uma infecção na perna e o médico passava todos os dias em casa, para fazer pessoalmente os curativos” lembra Sidnéia. Opinião não diferente tem Maria Batista da Silva, (78) e morando há 26 anos no bairro. “Toda vez que vamos ao posto o Doutor nos recebe com muita atenção, o mesmo digo das meninas, enfermeira chefe e as outras” conta, dizendo que tem a consideração pelo médico como se fosse um filho. “No nosso postinho não tem fila e já fui sentindo mal varias vezes e sempre me colocam para ser atendida no mesmo dia” diz Maria Batista.

Para a enfermeira Gisele Rocha Morais, o segredo para o bom resultado do trabalho tem sido a dedicação da equipe inteira. “Aqui não há sobrecarga, com pacientes aguardando dias para atendimento” revela, lembrando que sempre que chega alguém precisando elas conseguem sempre uma extensão de atendimento com o médico. “Ele é muito querido pelos nossos pacientes por isso, sempre arruma uma maneira de atender mais um, dois ou até mais” conta Gisele. De acordo com a coordenadora da unidade a média de atendimento por período é de 18 a 20 pacientes.

Para o médico Dr Antônio o processo de humanização do atendimento na unidade é um dos principais motivos para que as pessoas se sintam satisfeitas e isso é feito por todos, recepcionista, auxiliares da enfermagem, área da odontologia, os agentes comunitários e até a moça que cuida da limpeza. “Aqui trabalhamos com bastante harmonia” diz, ressaltando que o médico é o que tem a maior demanda de trabalho, mas o mérito do resultado e de todos. “Estou a nove anos atendendo aqui e faço isso com muito prazer a cada dia, porque temos que nos colocar como se fosse o paciente” diz, ressaltando que é fundamental chegar na unidade, receber um atendimento humanizado, sentir se acolhido, respeitado e também ter seu problema resolvido.

Fonte: Soares Filho (Portal do MS)

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br