MS: Em moção de repúdio, conselho critica secretário estadual de saúde

Saúde Imprimir
Quinta-Feira, 03 de Agosto de 2017 - 13h18

Moção de repúdio com críticas a administração estadual, mais especificamente contra o secretário estadual de Saúde, Nelson Tavares, foi publicada no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande) de hoje.

A nota, aprovada pelo Conselho Municipal, está relacionada ao atraso dos repasses financeiros para a Santa Casa.

Conforme a publicação, "o não cumprimento dos repasses financeiros do SUS, da regionalização da Saúde conforme legislação vigente, bem como atitudes isoladas [do secretário] estão desrespeitando a gestão plena do município, causando transtorno à rede de saúde e impossibilitando a implementação de serviços e a garantia da não violação de direitos aos usuários do SUS”.

A moção foi assinada pelo coordenador da mesa diretora do Conselho Municipal de Saúde, Sebastião de Campos Arinos Junior e pelo titular da pasta no município, Marcelo Luiz Brandão Vilela.

O ATRASO

No fim do mês de julho, a Santa Casa de Campo Grande anunciou a suspensão de cirurgias eletivas e atendimentos ambulatoriais, como novas consultas, a partir do dia 1º de agosto e por tempo indeterminado.

Esta decisão é também um modo de pressionar e chamar atenção. Isto porque o contrato do hospital com a prefeitura não foi formalizado e está sofrendo aditivos desde quando venceu, em dezembro do ano passado.

Atualmente, o repasse total da Prefeitura de Campo Grande para a Santa Casa é de cerca R$ 20,2 milhões por mês e ainda faltam ser repassados cerca de R$ 4.4 milhões, referentes ao mês de junho. Deste total, R$ 2,2 milhões são responsabilidade do município e R$ 2,5 milhões do Estado.

O hospital tem ainda cerca de R$ 11 milhões a receber por serviços prestados ao SUS antes de janeiro de 2017.

Fonte: Correio do Estado

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br