Executiva do PSB "convida" deputada a deixar o partido antes de ser expulsa

Partido considerou votação a favor de Temer, infidelidade partidária de Tereza Cristina

Política Imprimir
Sábado, 05 de Agosto de 2017 - 14h37

Líder do PSB (Partido Socialista Brasileiro) na Câmara dos Deputados, a Secretaria Nacional do PSB considerou a votação da deputada federal da bancada do Mato Grosso do Sul, Tereza Cristina (PSB), infidelidade partidária, o que causou revolta e até pedidos para que a parlamentar deixe a sigla antes que seja expulsa pela Executiva.

Durante a votação sobre a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), na sessão da Câmara da última quarta-feira (2), a parlamentar reuniu os membros do PSB e orientou que todos votassem pelo prosseguimento das investigações contra Michel Temer, assim como era a orientação do partido. Porém durante a votação, a deputada votou a favor do arquivamento do processo favorecendo o atual presidente Michel Temer.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, um dia antes da votação encaminhou a deputada federal Tereza Cristina, uma carta, pedindo para que ela orientasse a bancada a votar contra Temer ou que abrisse mão de falar pelo partido durante a sessão. O pedido seguia determinação da executiva do PSB, que decidiu se posicionar contra o presidente.

A deputada federal Tereza Cristina está em um momento de crise com o PSB, e já deixou claro que está articulando com o PMDB ou o DEM para deixar a sigla. A deputada participou de reuniões com o presidente Michel Temer e com o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) para ouvir propostas e negociar sua ida para outro partido.

A conduta tem sido reprovada pelo PSB, a qual chegou ao ponto de a Secretaria Nacional do PSB pedir para que ela deixe a sigla, antes que seja expulsa.

Fonte: Capital News

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br