Sócio de chefe do PCC no Paraguai é preso na fronteira com MS

Polícia Imprimir
Quinta-Feira, 05 de Outubro de 2017 - 06h23

O advogado paraguaio Amado Ramón Salinas, 49, apontado como o principal sócio comercial do brasileiro Elton Leonel Rumich da Silva, o “Galã”, o número 1 do PCC (Primeiro Comando da Capital) no Paraguai, foi preso hoje (4) em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS).

Galã é acusado de ter tramado, em parceria com o narcotraficante Jarvis Gimenes Pavão, a execução do chefão da fronteira, Jorge Rafaat Toumani, em junho do ano passado. O objetivo era permitir a expansão do PCC na fronteira. Rafaat era inimigo da facção.

De acordo com policiais paraguaios, Amado Salinas era procurado por lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas. Ele foi preso no centro de Pedro Juan Caballero por agentes da Unidade Especializada da polícia e da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas).

Conforme as investigações, o advogado é dono de duas empresas de fachadas no território paraguaio, usadas para movimentar altas quantias e para comprar bens como forma de legalizar o dinheiro proveniente do tráfico de drogas e de armas. Salinas era procurado desde 2016, quando foi desencadeada a “Operação Smugglin”, que identificou a estrutura financeira do PCC no Paraguai.

O promotor que lidera a força-tarefa contra o narcotráfico, Hugo Volpe, informou que Amado Salinas está sendo levado para Assunção. Segundo ele, as empresas do advogado atuavam oficialmente no ramo de importação, mas eram apenas de fachada.

Fonte: CG News

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br