Naviraí faz 54 anos buscando superar os baques econômicos; a origem dos aniversariantes de Hoje

Naviraí Imprimir
Sábado, 11 de Novembro de 2017 - 08h45

Este sábado será dia de festa para cinco cidades de Mato Grosso do Sul. Naviraí, Anaurilândia, Ivinhema, Jateí e Pedro Gomes comemoram hoje mais um ano de emancipação político-administrativa. Municípios cuja história praticamente se assemelham, não apenas por terem sido criados no mesmo dia mas por suas características econômicas que muito tem somado na riqueza e o progresso do estado de Mato Grosso do Sul.

Segundo historiadores, a maior parte dessas cidades acolheu famílias que vieram de outros estados, principalmente do sul e sudeste, entre as décadas de 60 a 70 e traziam a esperança de melhoria de vida em terras sul-mato-grossenses.
Naviraí – 54 anos
O principal município do conesul do estado, completa 54 anos, em momento de dificuldade. A cidade que se dependeu por quase três décadas do setor da cana de açúcar teve um baque, com o fechamento da maior empresa empregadora há três anos. Somado a isso a crise nacional que vem inibindo nos últimos 5 anos qualquer investimento das empresas privadas.

A crise da indústria da carne, provocada primeiro pela formação de um cartel que provou fechamento de uma unidade concorrente ao JBS, acrescentou na conta do desemprego. Essa planta empregava pelo menos 250 trabalhadores.

Dificuldades que não são “privilégios” da capital do conesul, estão sendo enfrentadas pela força e trabalho do seu povo. O município tem, ao longo dos últimos anos sobrevivido do comércio, do agro negócio (com justo e merecido destaque a principal cooperativa do sul do estado – copasul), pequenas indústrias e prestadores de serviço.

Naviraí chega aos 54 anos, em que pesem as dificuldades, com a força e grandeza de uma cidade que vai, mesmo que, a duras penas, superando a etapa de possuir uma única vocação econômica predominante. Entre 2009 e 2014 o setor de serviços chegou a representar 68,5% do Produto Interno Bruto (PIB), não só aqui, mas no país inteiro. Isso se deu, em grande parte, devido ao modelo de crescimento econômico brasileiro, que foi alcançado com base, sobretudo, no consumo e no aumento da renda da população. Serviços têm ligação direta com renda e consumo, pois, famílias com mais poder de consumo significam famílias que demandam mais e melhores serviços prestados.
Exatamente por isso, quando a crise se acentuou em 2015, e as famílias brasileiras experimentaram uma constante perda de seu poder de compra, o setor de serviços despencou e hoje as dificuldades são muito mais sentidas.

CIDADES E SUAS ORIGENS
A cidade de Naviraí foi fundada em 1952, por Ariosto Riva e outros companheiros que fundaram a colonizadora Vera Cruz Mato Grosso Ltda. Os primeiros colonos foram: Moryoshi Fukuda, Modesto Morel, Antônio Augusto dos Santos e Antônio Torres. Denominou-se povoado Vera Cruz porque era alcançado apenas por Via Fluvial, através do rio Amambai.
Somente em 1955, o povoado passou a ser atingido por uma precária estrada que o ligava a Dourados. Foi elevada a distrito pela Lei nº 1.195, de 25 de dezembro de 1958 e o município pela Lei nº 1.944, de 11 de novembro 1963

Anaurilândia – 77 anos

No dia 19 de janeiro de 1940, Ciriaco Gonzalez adquiriu 5.870 hectares de terra na região denominada “Água Amarela”, que a partir de 1948 veio a ser loteado com o intuito de se estabelecer um povoado.
Foram, inicialmente, vendidos 56 lotes e construídas as primeiras moradias, dando-se, assim, a formação do povoado de Água Amarela, hoje, Anaurilândia. Não houve criação de distrito e o município foi fixado pela Lei n.° 1.948 de 11.11.1963.

Ivinhema – 54 anos

As terras da região foram adquiridas por Reynaldo Massi, com intuito de implantar uma colônia agrícola e um novo núcleo urbano. Em 25 de novembro de 1957, foi constituída a Someco – S.A. (sociedade de melhoramentos e colonização), que iniciou os trabalhos de ocupação da área. Em 1961, chegaram as primeiras turmas de trabalhadores e no dia 1º de setembro se iniciou as construções dos pavilhões para instalação de sua infra-estrutura. O município foi criado pela Lei nº 1.949

Jateí – 54 anos

Seu povoamento originou-se com a implantação da Colônia Federal de Dourados. Em 1954 começaram a chegar os primeiros colonos. Entretanto, a efetiva colonização de Jateí só foi consumada quando os colonos cruzaram o Rio Dourados invadindo uma área não incorporada ao projeto, obrigando o governo a criar a segunda zona da colônia.
Em outra área previamente delimitada, elaborada pelo Dr. Tacito Pace, foi implantado o novo povoado, em 1956. Sua primeira casa comercial, foi instalada para Francisco Bezerra Carvalho. O município foi criado pela Lei nº 1950, de 11 de novembro de 1963.

Pedro Gomes – 54 anos

No ano de 1838 aportaram os primeiros imigrantes na região. Entre eles, Antônio Teodoro de Carvalho, que se intitulava Capitão do exército reformado e que se apossou de uma extensa gleba de terras, antes ocupadas pelos índios, Caiapós e Coroados.
Em 1950, um pequeno povoado de casas residenciais pertencentes aos fazendeiros da região recebeu a denominação de Amarra-Cabelo, pois existia ali um córrego, onde os viajantes paravam para dar um retoque na indumentária. O município foi criado pela Lei nº 1.942, de 11/11/1963.

Informações históricas da Assomasul – Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul.

Fonte: Soares Filho

© 2010-2017 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br