Mesmo com baixo efetivo, PRF apreende em média 684 quilos de maconha por dia em MS

Polícia Imprimir
Terça-Feira, 30 de Janeiro de 2018 - 07h51

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Mato Grosso do Sul foi responsável por 60% de toda a apreensão feita pela corporação no Brasil em 2017, mesmo com efetivo defasado. Somente de maconha, foram 205,8 toneladas tiradas de circulação, número 77% maior do que o resultado de 116,9 apresentado em 2016. O balanço leva à média de 684 quilos por dia.

No total de entorpecentes, incluindo além da maconha, a cocaína, a pasta base e o haxixe, são 208,1 toneladas apreendidas no ano passado. O cenário é reflexo do trabalho policial que tenta acompanhar, mesmo que de forma proporcional, o avanço do crime organizado nas fronteiras com a Bolívia e o Paraguai, que faz do Estado o maior corredor do tráfico da Amércia Latina.

Só nesta semana os PRFs já interceptaram uma carga com 200 quilos de maconha e 2.150 munições, em Ponta Porã, transportados em um veículo com placas do Mato Grosso. Em Água Clara, um homem de 23 anos foi preso com carregamento de cocaína avaliado em R$ 1 milhão.

Apesar dos saldos positivos, a corporação lida com o baixo efetivo. Segundo Luiz Alexandre Gomes da Silva, Superintendente Regional da PRF em Mato Grosso do Sul, são apenas 400 policiais divididos em escalas de plantão em dez delegacias e 22 postos, para cobrir uma área com aproximadamente 3,7 mil quilômetros quadrados.

Sem servidores o suficiente, a PRF se vê obrigada a deixar apenas dois agentes em alguns postos e, com base na escala, determinadas unidades operam normalmente enquanto outras ficam temporariamente fechadas, como forma de balancear o expediente e surpreender criminosos. Para Alexandre, é necessário pelo menos o dobro de policiais. “O cenário ideal seria 1.200, mas com 800 já melhoraríamos ainda mais nosso resultados”, disse.

“Todos os balanços têm sido positivos graças ao esforço e preparo dos policiais”, completou ele reforçando que, apesar do pouco efetivo, a PRF dispõe de tecnologias como escaner veicular, drones, helicóptero e dispositivos que permitem a rápida identificação de veículos suspeitos, além da equipe de cães farejadores.

MAIS APREENSÕES

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, em 195 dias da Operação Égide Fronteira, realizada pela PRF desde julho passado no trajeto que sai das fronteiras até o Rio Janeiro, maior receptador de ilícitos, foram apreendidos 156,4 mil quilos de maconha, 3,73 mil de toneladas de cocaína e crack até o último balanço, fechado no dia 21 de janeiro de 2018.

De acordo com a Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), as forças de segurança que atuam no estado apreenderam em todo 2017, 427,5 toneladas de entorpecentes, batendo o próprio recorde de pouco mais de 300 toneladas em 2016. Apesar dos resultados positivos, a quantidade de droga que entra é suficiente para causar estragos na segurança e aumentar índice de crimes correlatos, como roubos e furtos.

Fonte: Redação

© 2010-2018 - Todos os direitos reservados - Portal do MS - contato@portaldoms.com.br