Sábado, 26 de Setembro de 2020

Presidente da Uefa reforça desejo de encerrar Champions


Aleksander Ceferin afirma que caso situação em agosto seja semelhante à atual em relação ao coronavírus, há condições de terminar torneios. Para dirigente, Ligue 1 foi precipitada

O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, reafirmou o desejo da entidade de encerrar em campo as suas duas principais competições: a Liga dos Campeões e a Liga Europa. Em entrevista à emissora “BeIN Sports”, o dirigente declarou que a intenção é usar agosto para as partidas restantes. E que a situação atual em relação ao combate ao coronavírus é uma boa referência.

“Temos que esperar que o Comitê Executivo da Uefa confirme as datas, mas eu posso dizer que a temporada europeia será finalizada se em agosto tudo esteja como está agora”, declarou Ceferin.

– Como está agora, eu tenho certeza que podemos finalizar a temporada europeia, e isso significa as competições da Uefa. As ligas nacionais são uma coisa separada e eles decidem separadamente como vão proceder. Mas acho que 80% delas vão finalizar a temporada – comentou o eslovênio.

Em calendário divulgado por boa parte da imprensa europeia, a Uefa tem em mãos um cronograma com os 17 jogos restantes da Liga dos Campeões disputados entre 7 e 29 de agosto. Ceferin, no entanto, ainda não confirmou se as partidas das quartas de final e semifinal terão ida e volta.

O presidente da Uefa se mostrou confiante e afirmou que a próxima temporada dos dois principais torneios da entidade deve ser pouco afetada.

Ceferin vê França precipitada

 

Questionado sobre a decisão da LFP em encerrar precocemente a temporada do futebol francês, Aleksander Ceferin não se esquivou. Ele reforçou a autonomia das entidades e a decisão do governo local, mas disse que havia tempo hábil para jogar as partidas restantes.

– Para nós, o importante é que a gente sabe quem é o campeão, o segundo, o terceiro, o quarto. Mas na minha opinião pessoal é que cancelar a temporada tão cedo é não é o ideal, porque as coisas podem melhorar muito e todos podem jogar, com exceção de algumas ligas. Mas se a decisão é do governo, o que os clubes podem fazer? Ou a liga? Eles não podem fazer nada.

“Para mim, a decisão foi prematura. Mas não afeta a Uefa, é a decisão deles”, declarou.


O dirigente eslovênio comentou o caso de PSG e Lyon, que seguem na Liga dos Campeões, e vê prejuízo a ambos, caso não possam voltar a atuar até agosto, quando o torneio deve ser finalizado.

 

– Temos dois clubes franceses na Liga dos Campeões. Eles não vão jogar até agosto e não sei se é bom para esses times, não jogar e depois ter duros compromissos. Mas essa não é uma decisão minha. Nós temos que respeitar. Os clubes têm que respeitar a decisão do governo – comentou.

O presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, entrou com ação na Justiça francesa contra a decisão da liga de encerrar a temporada. O dirigente também enviou carta a políticos do país em apelo para que o Campeonato Francês de 2019/20 seja completado.


Fonte: Globo