Terca-Feira, 27 de Outubro de 2020

Usina Móvel de asfalto atenderá Naviraí, Itaquirai, Juti e Caarapó em nova fase de trabalhos


Equipamento ficará em Naviraí por 60 dias, para obras de recuperação da malha viária em algumas regiões.
Foto: Assessoria de Imprensa

Desde ontem, segunda-feira (20) começou a ser instalada na região do Parque Tasuo Suekane, a Usina Móvel de pavimentação asfáltica pertencente ao Consórcio Conisul. Nesta nova etapa de trabalhos a estrutura atenderá além de Naviraí, os municípios de Itaquirai, Juti e Caarapó.

O prefeito Dr. Izauri Macedo fez questão de acompanhar a chegada dos equipamentos. “Hoje estamos recebendo a tão sonhada usina móvel para que possamos dar início a essa etapa de recuperação da malha viária asfaltada em nossa cidade. Já temos em mãos um levantamento feito pela gerência de Obras e nesta etapa poderemos atender em torno de 25% das ruas e avenidas pavimentadas de Naviraí”, disse ele.

Ele explicou ainda que existe nos cofres municipais uma reserva em torno de R$ 4 milhões de reais que foram destinados para as despesas referentes à esta obra de recapeamento. “O que vamos fazer economizaremos em torno de 60%, já que os trabalhos serão com o nosso próprio maquinário”, ressaltou ele.

 

O prefeito ratificou a importância do apoio que o Consórcio Conisul recebeu da então deputada federal Teresa Cristina, hoje Ministra da Agricultura. “Ela como parlamentar nos deu recursos na ordem de R$ 1.200.000,00 e mais as contrapartidas dos municípios que integram o Consórcio Conisul, com Naviraí participando com uma verba em torno de R$ 200 mil reais, pudemos comprar todos os equipamentos, quando eu era vice-presidente e o Bispo, ex-prefeito de Japorã, o presidente”, explicou.

 

Por sua vez a Gerente de Obras, Ana Paula Rocha, disse que o equipamento atenderá o município, conforme contrato, por 60 dias, podendo esse prazo ser prorrogado. “Vamos desenvolver o recapeamento de várias ruas e avenidas não só da área central mas também dos bairros. Até agora só fazíamos as operações tapa-buracos que não é uma ação em definitivo e apenas paliativa por um determinado período. Agora sim, vamos realizar um trabalho de qualidade e durabilidade em nossas vias asfálticas”, garantiu Ana Paula.


Fonte: Redação e Assessoria