Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

Combate a incêndios no Pantanal ganha reforço do Governo Federal


Foto: Divulgação/Ministério da Defesa e Corpo Bombeiros de MS

Resultado da articulação do Governo do Estado com os ministérios do Meio Ambiente e da Defesa e a decretação de situação de emergência pelo governador Reinaldo Azambuja, o combate aos focos de incêndio no Pantanal foram reforçados na tarde deste sábado (25.7). No domingo e segunda-feira chegarão mais aeronaves para serem empregados na Operação Pantanal II. 

A definição dos trabalhos ocorreu em reunião realizada na manhã deste sábado no 6º Distrito Naval da Marinha, em Ladário, onde foi instalado o Centro de Comando da Operação. E já no início da tarde um helicóptero Bambi Bucket da Marinha iniciou as operações nas regiões da Codrasa e APA Baía Negra, em Ladário, e ao norte da cidade, a 5 quilômetros pelo rio. Equipes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental e do Ibama atuam no combate aos incêndios desde o surgimento dos primeiros focos.

Nas ações de combate aos focos de incêndio a Marinha do Brasil utilizará helicópteros em voos de reconhecimento, transporte de brigadistas e lançamentos de água com utilização do Bambi Bucket. Estão previstas, ao longo da semana, ações com as aeronaves Hercules C-130, da Força Aérea Brasileira, que irá operar de Campo Grande com a utilização do sistema de combate a incêndio “Modular Airbone Fire Fighing System” (MAFFS) e helicóptero Super Cougar, da MB, que partirá de Ladário.

 Foram mobilizados para a ação de combate aos focos de incêndio no Pantanal bombeiros de Corumbá, Jardim, Aquidauana, Maracaju, Ponta Porã e Campo Grande, além de 18 brigadistas do Prevfogo, do Ibama. Três viaturas para o combate a incêndio foram deslocadas da Capital para Corumbá.

“No momento em que fizemos o Decreto o governo tinha a clareza da emergência desse assunto, e como não conseguimos fazer o combate individualmente era necessária uma articulação institucional, e o governador Reinaldo Azambuja imediatamente conseguiu agregar esse conjunto de instituições, coordenadas pelo Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Defesa, para que a gente pudesse fazer uma ação muito rápida”, disse Verruck.


Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul