Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

Narcotraficante brasileiro simula morte no Paraguai para escapar da Justiça


Brasileiro foi preso por agentes da Interpol. (Divulgação).

O narcotraficante brasileiro Hernandes Oliveira da Silva, conhecido como Mike, procurado pela Interpol pelo assassinato de três pessoas e também por  internacional tráfico de drogas, simulou a própria morte no Paraguai , antes de ser preso em Montevidéu, no Uruguai.

Segundo investigações da polícia paraguaia, no dia 22 de junho, ele até pagou pelos serviços, que incluiu a publicação de uma nota de falecimento em Foz do Iguaçu, no Paraná. Segundo a Rádio Cultura Foz, uma lápide foi feita em um cemitério. Segundo a documentação falsa, o óbito teria ocorrido por  insuficiência respiratória,  em Assunção.

Mike foi capturado em Canelones, uma cidade costeira localizada a 40 quilômetros da capital uruguaia. Ele mostrou documentos falsos, mas os agentes reconheceram as fotografias publicadas, além de verificar as impressões digitais. As identificações que  ele usou estavam em nome de Ruan Cortes da Silva.

“Ele fez um esquema de simulação muito bem feito. Com poder econômico extremamente alto, o suspeito preparou tributos póstumos, com uma lápide no cemitério e tudo mais com o único objetivo de nos enganar e acreditar que ele estava morto. Mas, mesmo com essas evidências, colocamos o nome dele na Interpol e a prisão ocorreu no Uruguai ”, afirmou ao Ultima Hora,  a delegada da Divisão de Homicídios e Proteção de Pessoas, Thatiana Guzella.

Segundo a polícia paraguaia, a prisão de Mike  de Mike está relacionada ao assassinato do ex-policial Samir Skandar e do goleiro Alvari de Paula Silva, em novembro de 2019. Ele também é acusado de ordenar a morte da sérvia Marjan Jocic e por envolvimento no tráfico internacional de drogas.


Fonte: Midiamax