Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

Quatro são detidos e levados para a delegacia em reocupação da Cidade de Deus


Na terça-feira, Guardas apoiaram ação de desocupação na Cidade de Deus. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

No terceiro dia de reocupação da Cidade de Deus, em área localizada perto do lixão, na região do Dom Antônio Barbosa, quatro pessoas são levadas para a delegacia.

No início da manhã desta quarta-feira (29), equipes da GCM (Guarda Civil Municipal), Amshaf (Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários) e da Semadur (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) foram ao local para realizar, novamente, a desocupação da área.

O diretor da Amshaf, Enéas José de Carvalho Neto, disse que se trata de uma articulação de cunho político. “Tentamos por dois dias estabelecer conversa, explicar a realidade, que não era para ocupar a área, mas infelizmente insistiram”, declarou ao Jornal Midiamax.

Conforme o diretor da Amshaf, a área tem um passivo ambiental e, por isso, a prefeitura tem pressa na desocupação. “Essa área carece de plantio de cortina arbórea, que já foi feita e prejudicada por causa da invasão”, esclareceu.

Na segunda-feira, equipes foram ao local informar aos moradores que deveriam se retirar. Porém, diante da recusa, no dia seguinte os fiscais voltaram com retroescavadeira e derrubaram os barracos. Aos moradores, foi proposto ir a uma escola, para se abrigarem até que fosse encontrado um novo local para eles. A proposta, entretanto, foi recusada.

Ainda na terça-feira, assim que as equipes saíram com as máquinas, as cerca de 150  famílias começaram a reerguer os barracos.


Fonte: Midiamax