Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

Suinocultura de Mato Grosso do Sul dá um salto em 2020, com biossegurança e sustentabilidade


Foto: Ilustrativa

Ao afirmar que 2020 é o ano da suinocultura em Mato Grosso do Sul, a Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores (Asumas) faz eco a recente fala do Secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck sobre o crescimento acima da média nacional da atividade no Estado, e com biossegurança e sustentabilidade.

A Asumas diz que apesar de passarmos por um momento negativo histórico na área da saúde, com impactos em diversos setores a suinocultura sul-mato-grossense tem se sobressaído e apresentado alternativas de avanço e ganhando desenvolvimento (ganhou mais adeptos, gerando emprego e renda para centenas de pessoas).

Segundo dados da Associação, Mato Grosso do Sul reduziu abates pelo segundo mês consecutivo, entretanto no acumulado de janeiro a maio de 2020 foram abatidos 828,3 mil animais, resultado que foi 5,71% superior ao mesmo período de 2019. Nacionalmente os suinocultores abateram 16,24 milhões de suínos nos primeiros cinco meses do ano, 0,20% superior à mesma fração de tempo de 2019. O Estado representa apenas 4,3% da produção nacional de suínos (atrás de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso e São Paulo).

“A suinocultura no nosso estado está em crescimento acelerado, essa expansão começou há dois anos e, mesmo com a pandemia, segue ocorrendo. Está a caminho um crescimento bem expressivo, este ano já somamos mais de R$ 120 milhões aplicados somente em granjas”, relata o presidente da Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores (Asumas), Alessandro Boigues.

Ao falar da importância estratégica da suinocultura na política de desenvolvimento econômico do Governo do Estado, o Secretário Jaime traz dados sobre o registro da expansão da atividade acima da média brasileira nos últimos anos, destacando um crescimento de 54,3% na produção de 2014 a 2020 (No mesmo período a evolução no Brasil foi de 29,2%).

“A suinocultura sul-mato-grossense deu um salto significativo graças à integração entre o Governo do Estado e o setor, por meio da Câmara Setorial da Suinocultura. Hoje ela está totalmente inserida na nossa política de encadeamento produtivo, conta com um sistema de licenciamento ambiental moderno, regulado, eficiente e claro para os produtores, que tem permitido a ampliação de granjas de forma sustentável”, disse Jaime Verruck.


Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul