Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020

Mato Grosso do Sul perde colocação de estado com menor número de mortes


Foram mais 649 casos e 19 mortes pela doença nas últimas 24h
- Foto: Divulgação

Mato Grosso do Sul passou o estado do Tocantis e perdeu a última colocação no ranking de mortes no Brasil. Com 376 vítimas fatais da doença, 19 nas últimas 21 horas, o Estado passa a ser o segundo com menos óbitos.  

“Não estamos em campeonato, mas perdemos posição privilegiada, que era o estado que menos tinha óbitos. Somos um dos estados que mais cresce o número de óbitos e só vai cessar se tivermos posições duras. Caso contrário, esses números serão repetidos a exaustão nos próximos 15 dias”, alertou o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, em transmissão ao vivo realizada nesta sexta-feira (31).

O secretário afirmou ainda que Mato Grosso do Sul se tornou o terceiro estado com maior testagem do Brasil. “Com aquisição de novos equipamentos e doação de nova máquina automática pelo Ministério da Saúde, que vai ir para o Lacen-MS, seremos o que mais testa”, ressaltou.

Boletim Epidemiológico

O Estado teve mais 649 novos casos, totalizando 24.936 desde o início da pandemia. Destes, 5.585 estão em isolamento social, 18.490 estão recuperados. Dos 485 internados, 280 estão em leitos clínicos — dos quais 186 são públicos e 94 privados — , e 210 em leitos de UTI, 134 públicos e 76 privados.

As cidades que lideraram no número de casos nas últimas 24 horas foram Campo Grande, com 231 (9.875 no total); Corumbá, com mais 91 (1.262); Sidrolândia, com 50 (533); Iguatemi, com 30 (252); e Três Lagoas, com 24 (687).

Atualmente são 4.545 casos sem encerramento pelos municípios e 2.739 amostras a espera de análise no Lacen-MS.

A macrorregião da Capital está com 90% dos leitos ocupados. Destes, 39% são de pacientes com a Covid-19, 7% com suspeita e 44% com outras doenças.

Óbitos

“Aumentou a média de óbitos, passando a ter doze nos últimos 14 dias. É uma média muito grande”, apontou Resende.

Em Campo Grande, foram 10 mortes, 7 homens e 2 mulheres. O mais novo tinha 48 anos, o restante eram todos com mais de 60 anos. Somente uma pessoa não tinha comorbidades, uma mulher de 65 anos.  

Em Aquidauana foram dois homens, um de 48 e outro de 84 anos, os dois sem comorbidade relatadas. Em Dourados, foi um homem de 61 anos.

Em Três Lagoas, uma mulher de 56 anos; em Chapadão do Sul, um homem de 53 anos; em Terenos, uma mulher de 79 anos; em Maracaju, uma mulher de 74 anos; em Corumbá, uma mulher de 79 anos. Em Sidrolândia, a única pessoa que faleceu sem apresentar comorbidade foi uma mulher de 64 anos.


Fonte: Correio do Estado