Quarta-Feira, 30 de Setembro de 2020

Após reajuste, gasolina deve chegar a quase R$ 5 em Mato Grosso do Sul


Petrobras anunciou aumento de 6% no combustível a partir de sexta-feira

Na semana passada, a Petrobras anunciou reajuste nos preços dos combustíveis em suas refinarias. Para a gasolina o aumento foi de 6% e para o diesel de 5%, válidos a partir da sexta-feira (21). 

Segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos (Sinpetro-MS), a alta deve ser de R$ 0,08 no litro da gasolina e R$ 0,12 no diesel. Considerando o preço atual de R$ 4,80 no litro, somente com esse aumento, o litro da gasolina vai chegar a R$ 4,88.  

Com os efeitos da crise instaurada pela pandemia da Covid-19, a gasolina chegou a ser vendida por R$ 3,68 no início de maio. A diferença com os preços registrados atualmente já passa de R$ 1. 

De acordo com o levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 16 e 22 de agosto, o preço médio da gasolina comum em Mato Grosso do Sul foi de R$ 4,350. O combustível foi encontrado sendo comercializado de R$ 4,159 a R$ 4,799 nos postos de combustíveis do Estado.

Segundo o diretor do Sinpetro-MS, Edson Lazarotto, o novo aumento deve chegar aos postos nos próximos dez dias. 

“O reajuste impactará em torno de R$ 0,08 centavos na gasolina e de R$ 0,12 centavos no litro do diesel”, informou.

O reajuste será ainda maior quando considerado o preço da nova gasolina. Com as especificações de padrão do combustível, o litro ficará R$ 0,12 mais caro, segundo projeção do Sinpetro. 

Com o litro que hoje chega a R$ 4,80, mais R$ 0,08 do novo aumento e somado aos R$ 0,12 da nova gasolina, o preço iria a R$ 5.

MAIS CARA

Para o representante dos postos, o aumento pode ser ainda maior, já que a Petrobras ainda não divulgou os custos da nova gasolina. 

“Como já explicamos anteriormente, a gasolina nova ainda não está disponível. As distribuidoras têm 60 dias [contados a partir de 3 de agosto] para encerrar seus estoques, e a Petrobras ainda não definiu o custo final do produto”, detalhou Lazarotto.

A Petrobras informou que não há como dimensionar os preços. 

“É importante ressaltar que a Petrobras vende gasolina às distribuidoras, que revendem aos postos de combustíveis. Dessa forma, não temos dados sobre o preço final ao consumidor. Também é importante ressaltar que a gasolina vendida pela Petrobras às distribuidoras caiu 4% na última sexta-feira e acumula queda de 13,8% no ano. Então, não necessariamente vai ter aumento devido a essa nova especificação”, informou a Petrobras em nota.

Já o preço do diesel comum pode chegar a R$ 4 nos próximos dias, conforme estimativa do Sinpetro. 

Atualmente, de acordo com os dados da ANP, o litro do diesel varia de R$ 3,199 a R$ 3,899 em Mato Grosso do Sul. Considerando o valor mais caro, com reajuste de 5% nas refinarias (ou R$ 0,12 nas bombas), irá a R$ 4,01. 


Fonte: Correio do Estado