Sexta-Feira, 30 de Outubro de 2020

Polícia desmonta laboratório de produção de maconha gourmet no Paraguai


Droga tem alto teor e por isso é mais cara. (Foto: Senad)

Por meio de operação realizada em Assunção e também em Fernando de la Mora, na região metropolitana da capital paraguaia, a Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) desmontou um esquema de produção e comercialização de maconha modificada geneticamente e cultivada em laboratório.

Segundo informações dos agentes da Senad, a maconha encontrada durante a operação tem alto poder de THC (tetra-hidro-canabinol), substância psicoativa encontrada na Canabis sativa e que é responsável pelo poder alucinógeno da maconha,   e por isso é comercializada  a preço superior no mercado consumidor.

De acordo informações, o grupo montou alguns laboratórios e usavam técnicas de manipulações genéticas para modificar a maconha que era cultivada em locais preparados com alta tecnologia.

Nos laboratórios climatizados, foi encontrado também um sistema de iluminação ultravioleta, umidificadores, ar condicionado, ventiladores e um sistema de irrigação avançado para garantir o desenvolvimento das espécies cultivadas pela quadrilha.

Alguns produtos, insumos e equipamentos eram importados dos Estados Unidos e membros do grupo tinham conhecimento de agronomia. O alto custo de produção era compensado com o preço que a maconha produzida por eles alcançava no mercado consumidor. Um grama da droga produzida por eles chegava a custar cerca de R$ 60.

Durante a Operação “Gorilla Glue”, foram presas cerca de 20 pessoas acusadas de produzir a distribuir a “maconha VIP” para endinheirados do Paraguai.

Entre as pessoas presas estão,  Henry Alexander Homzi, o Yankee, Maria Monserrat Barros Estrago,  a La Mombi, Eugênio José Mendez Gutierres, o Memo, Nicolas Marecos Retamazo, o Niky, Jorge Matias Samudio Gimenez conhecido como Pesoca, Matias Adrian Paciello Ayala, Rodrigo David Marecos Ratamozo o Muñec, Artuto Daniel Veja Yamabay, conhecido como Turry, Francisco Javier Gutierrez Carrasco o Franche, GABRIEL Andrés Ricardo Martins Lopez, o Torta e Diego Elizeche.

Nos laboratórios a maconha era separada por variedades e foram identificados os tipos White Widow, Royal Gorila, Purple, Nothern Line, Moby-D, Blue Widow e Gelato. Ainda no decorrer destra quarta-feira a Senad deverá dar mais informações sobre a operação.


Fonte: Midiamax