Sexta-Feira, 30 de Outubro de 2020

MS cria sistema próprio de rastreio e monitoramento para a Covid-19


A secretária adj. Christine Mayome lembrou que apesar das orientações e medidas adotadas a taxa de contágio do estado permanece acima do recomendado.
ransmissão ao vivo sobre a atualização de dados da doença em MS - Divulgação

Mato Grosso do Sul é o segundo estado do país a criar um sistema próprio para rastreamento e monitoramento de casos da Covid-19.

O Programa Rastrear foi desenvolvido por meio de uma parceria entre a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e a Organização Pan-americana da Saúde (OPAS).

Conforme explica a enfermeira Lívia Melo, gerente de ações da doença na área de vigilância, é preciso entender que cada pessoa positiva para o vírus pode transmitir para pelo menos uma outra, e a proposta do Programa é conseguir identificar esses possíveis transmissores.

As equipes que realizam os testes Swab da doença (com cotonete) entram contato com os casos confirmados ou suspeitos, que estejam com exames marcados, questionando sobre sua rede de convivência e as pessoas com quem se teve contato nas 48h antes do primeirio sintoma.

A partir disto, essas equipes passarão a ligar diariamente para estas pessoas, fazendo o monitoramento por 10 dias caso algum sintoma apareça, já que houve uma exposição ao vírus.

“Essa estratégia tem como objetivo único quebrar a cadeia de transmissão.", destacou Lívia.

Em relação à taxa de contágio, a Secretária Adjunta Christine Maymone reforçou os dados de comparação entre Brasil e Mato Grosso do Sul. Enquanto o país está com média de 0,99 de contágio, o Estado é um dos únicos que ainda permanece acima de 1, ou seja, deixando o vírus num alto nível de transmissibilidade.

A Secretária Adjunta ainda frisou a ocupação de leitos hospitalares, “É preciso lembrar que os pacientes de leitos clínicos podem vir a precisar dos leitos de UTI, por um agravamento da doença, o que aumenta nossa taxa. E nós temos mantido uma média de internação alta.".


Fonte: Correio do Estado