Segunda-Feira, 26 de Outubro de 2020

Vendaval destelha residências e derruba torre com 90 metros


FOTO: Cedida

Um vendaval destelhou casas, derrubou árvores e até uma antena com 90 metros de altura no final da tarde desta quarta-feira (14), em Mundo Novo. Quase toda a cidade ficou sem energia elétrica até o inicio da noite e o sistema de internet também foi interrompido por conta da ventania.

A torre da FM Pantanal caiu sobre uma residência e um prédio comercial. Ao Ponta Porã News a proprietária da emissora, Valesca de Medeiros disse que a seguradora da emissora já foi acionada para reparar os prejuízos da empresa e das pessoas atingidas pela queda. Apesar do transtorno a previsão é de que as transmissões da rádio sejam normalizadas já na manhã desta quinta-feira (15). Várias casas foram destelhadas e muitas árvores também caíram sobre carros e motos.

Duas crianças que moram na vizinhança tiveram ferimentos leves e um morador também teve uma crise de pânico. Ele foi levado para o Hospital e Maternidade Bezerra de Menezes pelo Corpo de Bombeiros. Técnicos das empresas de energia e telefonia estão trabalhando para restabelecer os sistemas, contudo, ainda não há previsão para a volta do abastecimento de energia elétrica no município.

Ao site local o prefeito de Mundo Novo, Valdomiro Sobrinho, informou que assim que o temporal passou a Defesa Civil e outros servidores da prefeitura foram convocados para ajudar no trabalho de assistência às vítimas.

Segundo o prefeito os desabrigados serão atendidos pelo setor social do município e a limpeza e desobstrução das ruas vai começar ainda na noite desta quarta-feira. A Defesa Civil de Mundo Novo está fazendo o levantamento dos estragos e socorrendo as pessoas que tiveram suas residências atingidas.

Tempestade

Mundo Novo é uma das 47 cidades de Mato Grosso do Sul que estão sob alerta de tempestade do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Até às 11h desta quinta-feira (15) há possibilidade de chuva entre 30 e 60 mm, ventos intensos (60-100 km/h), e queda de granizo. Também há risco de corte de energia elétrica, estragos em plantações, queda de árvores e de alagamentos, ainda conforme o Instituto.


Fonte: Ponta Porã News