Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019

Chega a 16 número de mortes por dengue em Mato Grosso do Sul


Campo Grande é uma das três cidades que receberá projeto-piloto da Fiocruz que recorre a bactéria para impedir avanço da dengue

O boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde), divulgado nesta quinta-feira (2), confirmou a 16ª morte por dengue em Mato Grosso do Sul. As duas novas vítimas são uma mulher de 35 anos, em Campo Grande e um rapaz de 18 anos, em Corumbá.

Com a nova vítima, a Capital chegou a sua sétima morte pela doença. Os óbitos de uma criança de sete anos e um policial de 60 anos estão sendo investigados em Campo Grande.

Nesta quinta-feira, a morte por dengue do rapaz de 18 anos, residente em Corumbá, a 440 quilômetros de Campo Grande, foi confirmada pela secretaria de Saúde do município. Ele veio a óbito no dia 29 de abril, mas teria procurado atendimento por agravo da doença no dia 26 do mesmo mês.

De acordo com o Diário Corumbaense, inspeções foram realizadas na região onde a vítima morava e, de acordo com o Centro de Controle de Vetores, foram encontrados diversos criadouros na área onde o paciente residia.

Em apenas uma residência, foram detectados 33 focos com larvas. Por esse motivo, foi realizado o bloqueio mecânico com identificação e eliminação dos criadouros, bloqueio químico com aplicação de fumacê e larvicida.

No boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde), divulgado no dia 24 de abril, mostrava 14 mortes confirmadas, causadas pela dengue em todo o Estado.

Na Capital foram 7 mortes confirmadas, sendo dois homens – 72 e 78 anos – duas mulheres de 35 e 93 anos, e três crianças – 7, 5 e 1 ano. Em Dourados, foram três óbitos, duas mulheres – 58 e 87 anos, e um menino de 11 anos.
Corumbá registrou sua primeira morte com o rapaz de 18 anos. E Maracaju e Ponta Porã registraram um óbito cada, dois homens – 35 e 40 anos;

No Estado até o momento foram 12.654 casos confirmados, dos 29.540 notificados. Vale lembrar que Campo Grande está entre as cidades em alerta.


Fonte: Ana Paula Chuva, Midiamax