Domingo, 18 de Abril de 2021

Instituto Butantan divulga a Butanvac: primeira vacina 100% brasileira


Previsão para início de aplicação das doses é para o mês de julho, caso os testes clínicos sejam aprovados pela ANVISA em todas as fases
Governador Dória, destacado pelos pesquisadores brasileiros pelo esforço e investimento na vacina. Foto: Reprodução/Youtube Governo de São Paulo

O governo do estado de São Paulo anunciou, na manhã desta sexta-feira (26), a primeira vacina 100% nacional contra a Covid-19: a Butanvac, produzida integralmente pelo Instituto Butantan, localizado no Estado paulista. A vacina será exclusivamente feita em território brasileiro e não dependerá da importação de insumos.

Ainda nesta tarde, o governo paulista enviará à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido de dossiê de desenvolvimento clínico para que ela autorize o estudo clínico e avaliação das fases para posterior aprovação, produção e aplicação da vacina. 

A partir de maio, caso os testes clínicos sejam aprovados pela Anvisa em todas as fases, o Butantan produzirá 40 milhões de doses para serem aplicadas a partir do segundo semestre de 2021. A capacidade de produção por ano é de 100 milhões de doses. 

O objetivo é elevar a quantidade de doses, capacidade de produção nacional, ampliação e rapidez no processo de imunização da população brasileira.

A vacina será prioritariamente para o Brasil. Depois de atender brasileiros, serão contemplados outros países. 

“Nós queremos que essa vacina chegue nos países de renda baixa e média. Se o mundo rico combate porque tem recursos, ele vai ficar relativamente livre do vírus”, declara Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan.

“Os países de renda baixa ou média que tem dificuldade para ter a vacina poderão manter a pandemia. Então nós temos que ter vacinas para esses países porque lá que vamos combater a pandemia para globalmente sermos bem sucedidos”, complementa. 

De acordo com o governador de São Paulo, João Dória, os resultados dos testes pré-clínicos da Butanvac se mostraram extremamente promissores, o que permite a evolução de testes em voluntários já para início no mês de abril, caso seja autorizado pela Anvisa. 

Ainda segundo Dória, é preciso rapidez, urgência, velocidade e superação de burocracias na análise dos testes, com todos os cuidados, pois a pressa para salvar vidas e superar a situação pandêmica é grande. 

“É um orgulho para todos nós, uma dose de esperança para todos os brasileiros e uma homenagem a todos que se foram. Viva a ciência nacional, viva o Brasil, viva a vida”, celebra.

O governador de São Paulo afirma que 46 milhões de doses da Coronavac serão entregues até o dia 30 de abril e 100 milhões de doses até 30 de agosto. Até o momento, o Brasil já tem mais de 16,5 milhões de doses aplicadas. Desse número, 347.490 são de Mato Grosso do Sul.

Dória ainda cita uma pesquisa que 86% dos brasileiros declaram que vão se vacinar, 10% tem dúvidas e 4% não vão.


Fonte: Correio do Estado