Domingo, 18 de Abril de 2021

Estado leva desenvolvimento à região Sudoeste ao pavimentar 87 km da Rota Apaporé


Asfalto beneficiará o agronegócio, com expansão da agricultura em uma região onde predominava a pecuária

Projetada no início da década de 1980 pelo ex-governador Pedro Pedrossian ao abrir um eixo rodoviário que denominou de Apaporé - interligando as regiões de fronteira com o Paraguai, desde o Rio Apa, e o vazio do Cerrado, na divisa com Goiás -, a rodovia MS-382 está em obras para execução de 87,58 km de pavimentação. O trecho compreende Guia Lopes da Laguna aos entroncamentos com as MS-270 e MS-166, em direção a Antônio João e Ponta Porã.

Estratégica como rota do Corredor Bioceânico, reduzindo tempo e custo de transporte no escoamento e exportação de grãos das regiões Sul e Sudoeste pelos portos de Porto Murtinho e do Chile, a MS-382 integra o pacote de obras viárias do Programa Governo Presente, lançado em 2019 pelo governador Reinaldo Azambuja. Serão investidos R$ 226 milhões, incluindo a restauração de 91,4 km, com o primeiro trecho de implantação asfáltica já contratado.

“Vamos levar infraestrutura e interiorização a toda essa região, de Guia Lopes a Cabeceira do Apa (Ponta Porã) e Itahum (Dourados), interligando com o bolsão de produção da região Sul, proporcionando desenvolvimento e maior competitividade aos nossos produtos”, afirma Reinaldo Azambuja. “A gente fica muito contente por trazer essa infraestrutura, sonhada lá atrás, num momento de grandes transformações em curso com a Rota Bioceânica.”

Agronegócio e turismo

Para o secretário estadual de Infraestrutura (Seinfra), Eduardo Ridel, os investimentos em obras estruturantes vão promover grandes mudanças na logística de toda a região Sudoeste. "É um novo eixo, um novo canal para o desenvolvimento do Estado que tem recebido investimentos que transformam Mato Grosso do Sul", disse. "O governo começou com este enfoque deste 2015, em pensar o Estado de uma maneira diferente", completa.

A pavimentação de 87,58 km da MS-382 – a rodovia dá acesso ao Pantanal do Nabileque, em Porto Murtinho, a Oeste, passando pelo centro urbano de Bonito – foi autorizada em fevereiro pelo governador Reinaldo Azambuja, em visita à região. O pacote inclui o recapeamento de 53 km entre Guia Lopes e Bonito, único acesso hoje pavimentado em direção a Capital do Ecoturismo partindo de Campo Grande, obra em processo de licitação.

A MS-382 é também estratégica dentro do cenário que se desenha para o fomento do turismo na região com o Corredor Bioceânico, interligando-se à BR-267 (Jardim-Porto Murtinho) e à BR-262 (Miranda e Corumbá). “O Paraguai já é o maior emissor de turistas do Mercosul a Bonito”, informa Augusto Barbosa Mariano, presidente do IDB (Instituto de Desenvolvimento de Bonito). “O Governo do Estado tem sido um grande parceiro ao viabilizar essa logística.”

Sonho em realidade

Saindo de Guia Lopes da Laguna no sentido de Antônio João e Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, a movimentação de máquinas e operários na rodovia já sinaliza um novo tempo para aquela região. O primeiro lote contratado pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) – 37,72 km, ao custo de R$ 70,9 milhões – já está em execução pela empresa Bandeirantes. O trecho compreende o trevo da BR-060 ao entroncamento com a MS-270 (Copo Sujo).


Fonte: Subsecretaria de Comunicação