Segunda-Feira, 23 de Setembro de 2019

Dupla morre em troca de tiros e policiais resgatam advogada de cárcere


Mulher foi sequestrada em frente ao Território do Vinho, na Rua Euclides da Cunha; bandidos queriam o SUV Toyota RAV4
Dupla presa após sequestro e tentativa de roubo (Foto: Batalhão de Choque/Divulgação)

Dois criminosos morreram baleados por policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar ao serem surpreendidos no cárcere de uma advogada, sequestrada em frente a um restaurante na Rua Euclides da Cunha, em Campo Grande. A dupla chegou a ser socorrida até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Santa Mônica, mas não resistiu. Outros dois bandidos foram presos.

Conforme registrado em boletim de ocorrência, a vítima, esposa de um médico da Capital, foi abordada por três homens em frente ao Território do Vinho, por volta das 22h. Ela tinha ido buscar o marido que participava de uma confraternização no local.

O médico relatou a polícia que a mulher o avisou que estava na frente do restaurante, mas quando saiu, não a encontrou. Ele tentou ligar para a esposa, mas o celular já estava desligado e por isso, acionou a polícia.

Com a informação de que a vítima estava em um SUV Toyota RAV4, a polícia começou as buscas pela cidade e localizou o carro em um posto de combustíveis na Avenida Duque de Caxias, esquina com a Avenida Brasil Central.

No veículo estavam dois homens, Michel Vera Cruz de Assis, de 30 anos, e Ronaldo de Andrade Costa, de 23 anos. Aos PMs, Ronaldo confessou o sequestro e disse que receberia R$ 3 mil para levar o automóvel até Corumbá.

Ele contou também que a advogada seria mantida em cárcere no Indubrasil até a entrega do carro. A equipe chegou ao local já era quase 1h e a mulher gritou: “estou aqui”.

Conforme descrito no registro, a vítima saiu correndo, um dos bandidos atirou duas vezes e os policiais reagiram.

A advogada disse aos militares que foi abordada pelos dois homens que a mantinham em cárcere e reconheceu Michel. Ela relatou que em outro local, Ronaldo embarcou no veículo e então, ela foi levada para o cárcere.

Nesta manhã, ela dá mais detalhes sobre o ocorrido na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro.

 


Fonte: Campo Grande News