Sábado, 12 de Junho de 2021

Chile aprova vacina da Pfizer contra covid-19 para pessoas de 12 a 16 anos


O Chile autorizou o uso emergencial da vacina Pfizer em 16 de dezembro de 2020 para maiores de 16 anos (MARTIN BERNETTI/AFP)

O Instituto de Saúde Pública (ISP) do Chile aprovou nesta segunda-feira (31) o uso da vacina Pfizer/ BioNTech contra o coronavírus em pessoas entre 12 e 16 anos, que ainda não têm data para inclusão na campanha de inoculação em massa.

A Pfizer torna-se a primeira vacina a ser aprovada no Chile para menores, depois que o ISP avaliou positivamente seu uso em pessoas de 12 e 16 anos, apoiado por um estudo clínico entregue pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos (FDA), a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e a Health Canada.

“É uma notícia muito boa para avançar na imunidade de rebanho, protegendo também nossos adolescentes, que com duas doses e 14 dias terão uma imunidade muito boa para retomar a normalidade desejada”, disse Heriberto García, diretor do ISP, em nota.

O Chile autorizou o uso emergencial da vacina Pfizer / BioNTech em 16 de dezembro de 2020 para maiores de 16 anos. Oito dias depois, o programa de inoculação com equipe médica começou após a chegada das primeiras 10.000 doses.

A vacinação em massa começou em 3 de fevereiro com as vacinas Pfizer e Sinovac, começando com adultos mais velhos. Esta semana foi a vez dos jovens dos 23 aos 25 anos.

Até a semana passada, o Chile havia recebido 3,6 milhões de doses da Pfizer e 17,1 milhões de doses da vacina Sinovac. A estas foram somadas 693.000 da Covax (Astrazeneca) e 300.000 da Cansino.

“Quanto mais vacinados tivermos, mais rápido alcançaremos a imunidade de rebanho”, disse García, que não informou quando começaria a vacinação de menores.

O Chile avança com um processo de vacinação bem-sucedido com mais de 7,9 milhões de pessoas inoculadas com duas doses, o que representa 52,3% da população-alvo.

No dia 30 de junho, será cumprido o prazo prometido pelo presidente Sebastián Piñera para vacinar toda a população-alvo, cerca de 80% dos 19 milhões de habitantes do Chile.

Apesar do bom índice de vacinação, as infecções diárias permanecem acima de 6.000 casos, os hospitais estão cheios e boa parte da população aderiu ao relaxamento das restrições sanitárias autorizado ao imunizados com duas doses.

Após 14 meses de pandemia, a covid-19 causou 1,3 milhão de infecções no Chile e mais de 29.000 mortes.

 


Fonte: Exame