Sábado, 24 de Julho de 2021

Loester Trutis bate recorde e gasta R$224 mil em seis meses de trabalho legislativo


Com teto máximo de R$ 40 mil para o MS, Trutis fecha a soma mensal ultrapassando o limite estabelecido
Polêmico e desaparecido do eleitorado, o Deputado Trutis. Foto: Arquivo

Com a soma de R$224 mil gastos em seis meses, o deputado Federal Loester Trutis (PSL) foi o parlamentar da bancada do Mato Grosso do Sul que mais apresentou despesas no primeiro período de trabalhos legislativos em 2021.  

Dentre os gastos comprovados, Trutis citou telefonia, manutebção de escritório e apoio a atividade, passagens áerea, divulgação, pagamento feito a advogados, combustíveis e lubrificantes.  

Além das despesas acima da média, Trutis fecha a cota mensal estabelecida para o Estado sempre ultrapassando o limite, que é de R$ 40.542,84. 

A cota parlamentar é disponibilizada aos deputados para custos exclusivos da atividade e geralmente são pagos em forma de ressarcimento, após a apresentação de notas fiscais.  

Seguindo a linha de Trutis, Dagoberto Nogueira (PDT) fica em segundo lugar e apresenta o gasto de R$203.567,14, seguido por Vander Loubet (PT) com R$200.063,85, Beto Pereira (PSDB) R$ 197.780,69, Rose Modesto (PSDB) R$ 185.923,66, Luiz Ovando (PSL) R$185.870,11 e Bia Cavassa (PSDB) R$129.090,92.  

Dos oito deputados, o que menos utilizou da verba foi Fábio Trab (PSD), que teve despesas mínimas e o total dos seis meses de trabalhos legislativos custaram R$16.820,54.  


Fonte: Correio do Estado