Terca-Feira, 21 de Setembro de 2021

Abertura de empresas bate recorde no 1º semestre em Mato Grosso do Sul


São 2.023 empresas fechadas e 4.674 empresas abertas de janeiro a julho
Mesmo em pico da pandemia, Mato Grosso do Sul tem 4,6 mil novas empresas no 1º semestre - Álvaro Rezende

Mato Grosso do Sul bate recorde em abertura de empresas no período de janeiro à julho deste ano, de acordo com dados da Jucems (Junta Comercial de Mato Grosso do Sul). 

São 4.674 empresas abertas e 2.023 empresas fechadas desde janeiro, o que resulta em um saldo de 2.651 novas empresas no primeiro semestre.

Das 4.674 novas empresas abertas, 3.020 são do setor de serviços (64,61%),1.446 do setor de comércio (30,94%) e 208 do setor de indústrias (4,45%).

Dentre os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, Campo Grande lidera com 43,3% de empresas abertas. Em segundo e terceiro lugar vem Dourados (11%) e Três Lagoas (4%), respectivamente.

Das 2.023 empresas fechadas, 1.062 eram do setor de serviços (52%); 860 do setor de comércio (42%) e 101 do setor de indústria (4,9%). 

Dentre os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, Campo Grande lidera com 40% das empresas fechadas. Em segundo e terceiro lugar vem Dourados (9,6%) e Três Lagoas (5,9%), respectivamente.

Em relação às empresas abertas, houve aumento de 32,5% em relação ao mesmo período do ano passado. O último melhor resultado constatado foi em 2013, com 3.981 empresas constituídas no primeiro semestre.

O registro automático de empresas foi destaque com 2,5 mil empresas abertas entre janeiro a julho deste ano.

O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (SEMAGRO), Jaime Verruck, diz que os resultados são frutos das ações empreendedoras de Mato Grosso do Sul.

“A abertura mostra a capacidade empreendedora da população, a continuidade dos investimentos mesmo na pandemia e com setores muito impactados, além dos esforços para reduzir o tempo de abertura das empresas e modernizar os processos, deixando-os mais práticos e menos burocráticos".

Os motivos de fechamento de empresas são consequências causadas pela pandemia da Covid-19 e facilidade de fechamento.

O comércio foi gravemente afetado devido aos lockdowns e toques de recolher decretados durante a pandemia. 

O Programa de Saúde e Segurança na Economia (Prosseguir) recomendou o fechamento de todas as atividades essenciais nos meses de março e junho para municípios em coloração cinza, que indica grau extremo de risco para Covid-19.


Fonte: Correio do Estado