Terca-Feira, 28 de Setembro de 2021

Atrasar a 2ª dose da vacina não interfere na resposta imune, diz pesquisadora


A pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e coordenadora da pesquisa da vacina da AstraZeneca no Brasil Lily Yin Weckx afirmou à CNN que um pouco de atraso na aplicação da segunda dose não interferirá na resposta imune das pessoas.

De acordo com a pesquisadora, após a primeira aplicação, a pessoa continua protegida em pelo menos três meses com a vacina em questão. “Hoje já há estudos mostrando uma certa persistência por um tempo maior ainda”, revelou.

“Atrasar um pouco a aplicação da segunda dose não vai interferir na resposta imune. Isso vale para todas as vacinas (…) O atraso em si não é um problema, no entanto, nós estamos frente a uma pandemia e sabemos que com duas doses a proteção é melhor. Por isso, entra agora a substituição da segunda dose por outra vacina”, disse.

Intercambialidade de doses

Lily Yin Weckx também reforçou a importância da intercambialidade de vacinas de diferentes produtores. “Neste caso especificamente, entre AstraZeneca e Pfizer, ou Pfizer e AstraZeneca, nós temos estudos mostrando realmente que você pode fazer essa intercambialidade, e com vantagens, inclusive. A resposta imune melhora quando você dá AstraZeneca, e a segunda dose é a Pfizer”.

Segundo a coordenadora, a intercambialidade de doses pode gerar efeitos colaterais, mas que, assim são pontuais e não geram preocupação.

“Misturando as vacinas talvez haja reação um pouco mais aumentada com essa segunda dose de uma outra, mas tudo dentro de uma reação absolutamente aceitável, nada que nos preocupe.”

Terceira dose

Lily Yin Weckx afirmou que o grupo de idosos deve ser priorizado em uma terceira dose pela queda de anticorpos que acontece com o passar do tempo.

“A nossa preocupação é realmente proteger essas pessoas mais vulneráveis. Os idosos em primeiro lugar, pois a resposta não é tão boa quanto do adulto jovem e a perda dos anticorpos é mais rápida. E o grupo dos imunossuprimidos, os trasplantados, que mesmo com duas doses, a gente viu que não é adequado, por isso, a introdução de uma terceira dose.”

 


Fonte: CNN Brasil