Terca-Feira, 07 de Dezembro de 2021

Golpes devem crescer 50% na Black Friday; veja dez dicas para evitar cair em fraudes


Em 2020, houve 22.467 pedidos fraudulentos
Ilustração

A Black Friday — uma das datas mais esperadas pelo varejo — vem atraindo cada vez mais consumidores interessados em ofertas, especialmente nas compras pela internet. O evento deste ano está marcado para o próximo dia 26, a última sexta-feira do mês, mas as lojas virtuais já começaram a divulgar descontos nos preços de seus produtos. A aproximação da data, porém, acendeu o sinal de alerta para a possibilidade de aumento do número de fraudes e das tentativas de golpes. As ações mais comuns, alertam especialistas, são a criação de páginas falsas que simulam e-commerce, promoções fraudulentas e perfis falsos em redes sociais.

De acordo com a ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude, essas práticas devem crescer 52% na Black Friday de 2021. Em quantidade de tentativas, em 2020, houve 22.467 pedidos fraudulentos, sendo 9.822 no dia 26 e 12.645 no dia 27. Já para 2021, a estimativa é que o e-commerce registre 34.089 pedidos fraudulentos, sendo 14.834 no dia 25 e 19.255 no dia 26.— Nosso estudo mostra que as fraudes vão representar 0,88% dos pedidos no dia 25 de novembro e 0,50% no dia 26 de novembro. As tentativas de golpe serão altas, mas o aumento em relação aos pedidos regulares faz com que os percentuais sejam baixos em relação ao volume total — afirma Omar Jarouche, diretor de Marketing e Soluções.

— Nosso estudo mostra que as fraudes vão representar 0,88% dos pedidos no dia 25 de novembro e 0,50% no dia 26 de novembro. As tentativas de golpe serão altas, mas o aumento em relação aos pedidos regulares faz com que os percentuais sejam baixos em relação ao volume total — afirma Omar Jarouche, diretor de Marketing e Soluções.

Luiz Pavão, vice-presidente B2C da Infracommerce, explica que o simples acesso a um link enviado por mensagem pode ser suficiente para que o consumidor tenha seus dados vazados, especialmente de plataformas de compras, como cartão de crédito e CPF:

— Ficar atento aos links enviados e compartilhados pelos grupos de mensagens é importante para evitar ter cartões e dados clonados. Outro ponto que vale ter atenção especial é que a maioria dos sites e dos aplicativos dá uma pontuação para o vendedor com base nas avaliações dos próprios compradores. Então, antes de fechar a compra, é essencial que os consumidores olhem para isso — recomenda Luiz Pavão.


Fonte: Jornal Extra