Segunda-Feira, 17 de Janeiro de 2022

Mato Grosso do Sul confirma 25 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, mas número pode ser maior


Segundo secretária adjunta de Saúde, números ainda estão defasados devido a ataque hacker e não refletem a realidade atual de casos
Fogo: Divulgação

Mato Grosso do Sul contabiliza 25 novos testes positivos de Covid-19 de terça (4) para quarta-feira (5), de acordo com boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). 

Com isso, o Estado alcança 380.845 casos confirmados desde o início da pandemia.

No entanto, a secretária adjunta de Saúde, Christinne Maymone, esclarece que os números ainda estão defasados devido ao ataque hacker no Ministério da Saúde e não refletem a totalidade de casos registrados nas últimas 24 horas.

Dos 25 casos, 10 são de Ribas do Rio Pardo, 6 de Campo Grande, 3 de Corumbá, 2 de Dourados, 2 de Naviraí, 1 de Chapadão do Sul, entre outros municípios.

Mato Grosso do Sul também registrou quatro mortes nas últimas 24 horas. Os óbitos são dos municípios de Dourados, Ribas do Rio Pardo, Corumbá e Naviraí. Com isso, o Estado resulta 9.736 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia.

A média móvel de casos dos últimos sete dias é de 103,9 e a de mortes é de 1,3. A taxa de contágio não foi divulgada.

Os meses da pandemia com mais testes positivos são junho de 2021 (44.686); maio 2021 (42.540); dezembro (34.700) e março 2021 (34.070).

Os meses mais letais da pandemia são abril 2021 (1.411); junho 2021 (1.327); maio 2021 (1.140); março 2021 (1.108) e julho 2021 (690).

Mulheres (52,7%) se infectam mais com o vírus da Covid-19 do que homens (47,3%). Porém, homens (55,7%) morrem mais de Covid-19 do que mulheres (44,3%). 

Existem 46 pessoas internadas, sendo 29 em leitos clínicos (24 público; 5 privado) e 17 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (14 público; 3 privado).

A ocupação global de leitos de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) na macrorregião de Campo Grande está em 47%, Dourados 63%, Três Lagoas 40% e Corumbá 77%.


Fonte: Correio do Estado